ADICES inicia projeto formativo de meio milhão de euros para o território

14.06.2018 |

A ADICES – Associação de Desenvolvimento Local submeteu uma candidatura ao POISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, no âmbito da tipologia 3.05 – “Capacitação para a Inclusão”, que foi aprovada com uma dotação orçamental de cerca de 500 mil euros.

Este projeto formativo vai ser desenvolvido pela ADICES em parceria com os CLAS – Conselhos Locais de Ação Social e os Municípios do seu território de intervenção, Águeda, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão e Tondela.

Pretende-se que este projeto vá ao encontro dos objetivos definidos na sua ELD – Estratégia Local de Desenvolvimento para o território, nos Planos de Desenvolvimento Social definidos no seio de cada Rede Social envolvida, e também no âmbito das necessidades formativas e de emprego de cada concelho.

No que respeita ao plano formativo aprovado, “ele é composto por 11 cursos que integram 28 ações, com diferentes cargas horárias, que serão dinamizadas naqueles cinco municípios”.

Os destinatários destas ações de formação, são “grupos potencialmente vulneráveis, constituídos nomeadamente por pessoas com baixos rendimentos, desempregados de longa duração, beneficiários do RSI, adultos que não sejam detentores das competências básicas de leitura, escrita, cálculo e TIC ou com baixos níveis de qualificação”.

A primeira ação desta candidatura – “Formação Cívica e Prevenção da Violência” teve inicio no dia 4 de junho, no município de Carregal do Sal com a participação de 15 formandos.

A concretização desta candidatura que no final será frequentado por 420 formandos vai permitir à ADICES “dar continuidade ao seu trabalho de participação e envolvimento ativo junto dos atores e entidades locais, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento do seu território, e principalmente para o reforço e promoção da capacitação e desenvolvimento de competências de natureza pessoal, social e profissional que facilitem o acesso ao mercado de trabalho, potenciando a empregabilidade e reduzindo a vulnerabilidade económica da população local”.