BE considera “um grave problema” o uso de inseticidas na Serra do Caramulo

05.07.2018 |

O Bloco de Esquerda de Viseu disse hoje à agência Lusa que está a agendar uma visita à Serra do Caramulo, no concelho de Tondela, para ouvir as preocupações dos apicultores acerca do uso de inseticidas.

“É um grave problema e há apicultores que vivem desses produtos, do mel e das abelhas, e estão em risco por causa do uso do inseticida EPIK SG”, que é usado para combater o uso do gorgulho do eucalipto, contou à Lusa Diego Garcia, da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda.

Tendo em conta a “gravidade da situação”, continuou Diego Garcia, o Bloco de Esquerda de Viseu está a agendar, “ainda para este mês”, uma visita ao local, para “ouvir as populações e as preocupações dos apicultores”, embora a preocupação se estenda “ao meio ambiente em geral”.

“Vamos ver quais são realmente os danos, até porque esta pulverização, com EPIK SG, só foi permitida até 2015. A partir desse momento, foi completamente proibido e se foi proibido por alguma coisa foi”, alertou.

A denúncia do uso deste produto químico chegou ao Bloco de Esquerda pela Quercus, “que recebeu várias queixas dos apicultores” da região da Serra do Caramulo, no concelho de Tondela, distrito de Viseu.

Neste sentido, os deputados Pedro Soares e Carlos Matias enviaram um documento, na quarta-feira, para o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, através do qual questionam o uso deste inseticida.

No início de junho, o deputado do PCP no Parlamento Europeu Miguel Viegas visitou a Serra do Caramulo e revelou a sua “preocupação com as consequências da pulverização de eucaliptos” e com os “efeitos nefastos no ambiente, e concretamente nas abelhas e colmeias” da região.