Câmara de Lamego vai investir 11 milhões em projetos estratégicos

14.02.2017

O Município de Lamego vai avançar, até 2020, com 16 projetos estratégicos de desenvolvimento urbano, nos quais serão investidos cerca de 11 milhões de  euros.
De acordo com o presidente da Câmara, Francisco Lopes, “durante quase 40 anos não tivemos plano de urbanização na cidade de Lamego. O desafio é, ora avante, que se façam coisas melhores e com objetivo estratégico, olhando para a cidade e para o casco mais antigo, que foi abandonado em detrimento das periferias”.
Durante a sessão de apresentação do Plano Estratégico de Reabilitação Urbana de Lamego (PERU) e do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), Francisco Lopes sublinhou a importância destes dois instrumentos no futuro próximo.
“Vamos ter mais de uma dúzia de projetos, de um leque bastante abrangente que foi discutido, mas que achamos que mais se adequa a este programa previsto no Portugal 2020”, acrescentou.
O contrato de financiamento do PEDU de Lamego foi assinado em junho de 2016, garantindo investimentos que ascendem a 11 milhões de euros, comparticipados a 85% por fundos comunitários, e que assentam em três eixos prioritários: mobilidade sustentável, regeneração urbana e apoio a comunidades desfavorecidas.
Assim, para a mobilidade sustentável estão alocados 5,3 milhões de euros, que têm por objetivo desenvolver quatro projetos, entre os quais a criação de um corredor de transportes públicos ao centro da cidade (3,6 milhões de euros).
A rubrica da mobilidade sustentável prevê ainda a requalificação do eixo Macário de Castro, no valor de 1,5 milhões de euros; a requalificação da rua Visconde de Arneirós e envolvente, com investimento de 800 mil euros; e ainda o desenvolvimento de um sistema de abrigos inteligentes de informação e gestão de transportes, no valor de 450 mil euros.
Já a regeneração urbana prevê um investimento de 3,2 milhões de euros, em que estão contemplados oito projetos, entre os quais a regeneração do Parque Urbano de Lamego, orçada em 2,39 milhões de euros.
Prevê-se também a transformação do antigo Matadouro em Centro Cívico de Lamego (420 mil euros); a reabilitação da Torre dos Figos, no Bairro do Castelo (350 mil euros); a reabilitação da Casa do Horto, no Bairro do Castelo (300 mil euros); a regeneração do Largo dos Bancos (285 mil euros); e a aplicação de mais de 90 mil euros para a dinamização do comércio tradicional, marketing urbano e agenda cultural.
A rubrica de apoio a comunidades desfavorecidas terá disponível uma verba de 1,9 milhões de euros, que contempla quatro projetos, entre os quais a requalificação do espaço público do Bairro de Nazes (1,2 milhões de euros).
Estão também contempladas a requalificação de um edifício para instalação do “Espaço Social de Lamego”, no Bairro de Nazes (150 mil euros); a reabilitação do espaço público do Bairro Social de Alvoraçães (600 mil euros); e a requalificação de um edifício para a instalação do Centro Social de Alvoraçães (250 mil euros).