Ex-autarcas acusados de receber verbas indevidas

25.01.2017 |

O Ministério Público do Tribunal de Viseu acusa seis antigos presidentes de autarquias do distrito do crime de recebimento indevido de vantagem, na forma continuada, durante o tempo em que ocuparam os conselhos de administração da Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão e da Ecobeirão. 
Em causa, segundo a acusação, estão milhares de euros que os arguidos “receberam a título de senhas de presenças em reuniões que não existiram ou então os suspeitos não estiveram presentes”, entre os anos de 2002 e 2007.
São arguidos no processo, que foi investigado pela Polícia Judiciária do Centro, Carlos Marta (ex-presidente da Câmara de Tondela), Atílio Nunes (ex-autarca de Carregal do Sal), António Carlos Figueiredo (São Pedro do Sul), Afonso Abrantes (Mortágua), Orlando Mendes e João Lourenço (estes dois antigos presidentes da Câmara de Santa Comba Dão). 
O Ministério Público considera que os autarcas agiram com o intuito de “enriquecerem ilegitimamente às custas da Associação e da Ecobeirão, cujas direções eram unicamente por eles controladas”. 
Além de senhas, os autarcas ainda receberam dezenas de milhares de euros em refeições, deslocações com carro próprio e alojamento.