GNR vigia idosos  devido ao frio

16.01.2017 |

O Comando Territorial da GNR da Guarda anunciou  que vai proceder ao reforço da vigilância dos idosos do distrito que vivem sós e isolados, devido às baixas temperaturas previstas para a região.
“As patrulhas já tinham uma atenção permanente sobre estas pessoas [idosos que vivem sós e isolados], mas, com as baixas temperaturas, foram planeadas ações direcionadas para o apoio específico”, disse hoje à agência Lusa fonte da GNR da Guarda.
Segundo a fonte, aquele Comando Territorial tem “um levantamento feito a nível distrital relativamente a pessoas que foram sinalizadas como mais vulneráveis”.
“São essas pessoas que nesta altura recebem mais a nossa atenção, porque estão doentes ou porque as habitações não têm as condições ideais para fazer face às baixas temperaturas”, disse.
Referiu que, quando as patrulhas detetam “algumas situações mais extremas”, contactam as Câmaras Municipais, através dos gabinetes de ação social, ou os serviços da Segurança Social, “para apoiarem com reforço de vestuário ou na reparação das próprias habitações”, que podem apresentar-se com telhas levantadas ou com vidros partidos, por exemplo.
Nas deslocações, os militares também transmitem conselhos e alertas aos idosos para não correrem perigos no interior das habitações, nomeadamente com o uso de lareiras, braseiras e aquecedores.
A operação “Censos Sénior 2016” da GNR, que decorreu entre 01 e 30 de abril em todo o país, revelou que no distrito da Guarda foram sinalizados 3.870 idosos que vivem sozinhos ou isolados, mais 634 do que em 2015.
Segundo a GNR, quase oito mil idosos moram sozinhos ou isolados em Viseu e na Guarda, os distritos do país com mais pessoas nestas condições.
Entretanto, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê a partir de hoje e, pelo menos até dia 21, uma descida das temperaturas, em especial da mínima, que pode atingir valores entre -1 e -4 graus em Bragança, Vila Real, Guarda, Braga, Leiria, Viseu, Évora e Portalegre.