PCP alerta para a falta de médicos em Penalva do Castelo

12.10.2017 |

A concelhia de Penalva do Castelo do PCP lamenta a situação “absolutamente insustentável” em que diz encontrar-se o centro de saúde local devido à falta de médicos.

“Com a saída de dois médicos nos últimos dois meses e com as férias de um terceiro, a partir da próxima semana, na prática, haverá apenas dois médicos – quando deveriam ser cinco – a assegurar todo o serviço”, referiu António Vilarigues do PCP, em anetrevista à Emissora das Beiras.

Segundo o responsável, “hoje já há receitas de medicamentos para doenças crónicas por passar”.

“Esta situação é absolutamente insustentável, inadmissível e desrespeitadora do direito à saúde”, considera.

António Vilarigues referiu ainda à nossa Rádio que “os dirigentes do ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) Dão Lafões e da Administração Regional de Saúde do Centro tiveram conhecimento prévio, com pelo menos 60 dias de antecedência, dos pedidos de saída dos dois clínicos”, mas os utentes “foram apanhados de surpresa”.

“Estas políticas põem em causa o espírito e o objetivo central do Serviço Nacional de Saúde: prestar cuidados de saúde de proximidade, com qualidade e eficiência a todos os utentes”, acrescenta.

Com o objetivo de “reclamar a urgente resolução deste grave problema”, o PCP vai hoje mesmo colocar a circular um abaixo-assinado a exigir o “imediato restabelecimento dos médicos em falta e o normal funcionamento do centro de saúde”.