PCP associa-se ao pesar pelo falecimento do capitão de Abril Diamantino Gertrudes da Silva

11.10.2018 |

Morreu ontem em Viseu, aos 75 anos, Diamantino Gertrudes da Silva, natural de Alvite (1943), concelho de Moimenta da Beira, Capitão de Abril, que à data da Revolução dos Cravos comandou as tropas de Viseu para Lisboa, com as companhias de Aveiro e da Figueira da Foz, e que na “marcha gloriosa” teve a seu cargo a tomada da prisão de Peniche.

A sua intervenção está relatada por si no livro “Operação Viragem Histórica”, coordenado pelo Comandante A. Contreiras.

Foi autor de três livros que, segundo o PCP, espelham, com grande brilho literário o percurso de vida, ainda que ficcionado, de um militar de Abril. O terceiro chama-se “Quatro Estações em Abril”. Foi distinguido com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

Democrata convicto foi, até que a saúde o deixou, “um difusor empenhado e entusiasta dos ideais de Abril, levando, sobretudo às escolas e colectividades, os valores da liberdade, da democracia e da justiça social, objectivos maiores da Revolução dos Cravos”.

Nesta hora de pesar, o PCP endereça a toda a família de Diamantino Gertrudes da Silva, sentidas condolências, prestando homenagem pública ao “militar valoroso, ao democrata empenhado, ao humanista e homem de cultura”.