Ricardo Loureiro é campeão nacional do Campeonato de Portugal de Montanha

12.09.2018 |

Depois de uma época isenta de problemas mecânicos, e naquela que poderia ser a prova de consagração, o motor do Ford Escort de Ricardo Loureiro entendeu por bem não colaborar, durante a Rampa da Sra. da Graça, no passado fim de semana.

O piloto do Caramulo, não faria a subida da warmup, para apenas cumprir a primeira subida oficial de treinos onde acabaria por alcançar a 16ª melhor marca à geral, e o terceiro em termos de Campeonato Portugal Clássicos de Montanha, percorrendo todo o Monte Farinha em 3.38.153.

“Sensivelmente a meio do traçado, ouvi um barulho estranho vindo do motor, o que me fez de imediato baixar o ritmo até à linha de meta.” – explicou o piloto.

Após a descida, e já na zona de assistência, o prognóstico não foi o melhor. Ainda que não houvesse a certeza de qual o problema, sabia-se que não era coisa simples, e não restava outra alternativa que não a desistência.

“Foi esse o conselho dos mecânicos e só tive de acatar para não causar eventualmente mais danos no motor, e que me pudesse inclusive comprometer a presença na última prova do campeonato, até porque, com esta desistência nada era garantido, pudendo mesmo ter de ficar a decisão para a última prova em Boticas.” – referiu Ricardo Loureiro.

Quando o desanimo já se começava a apoderar do piloto do Caramulo Racing Team, que já tinha o seu carro em cima do reboque para regressar a casa, eis que surgem as notícias de que os problemas não estavam só guardados para si. Um conjunto de fatores e problemas mecânicos dos seus principais adversários, faziam com que afinal a Rampa da Senhora da Graça e Mondim de Basto, fossem o local de consagração de Ricardo Loureiro como Campeão.

“Estou obviamente muito, muito feliz por ser Campeão, é um objetivo concretizado, um sonho realizado, mas também não deixa de ter neste momento um sabor um pouco amargo, porque eu gostava de poder ser campeão na pista, mas as corridas são isto, os imprevistos e os problemas surgem quando menos esperamos. Resta o conforto de que afinal os problemas não estão só guardados para nós!” – confidenciou o piloto assim que soube que era já o vencedor do campeonato.

Com o campeonato no bolso, Ricardo Loureiro, no entanto espera que a época não tenha terminado por aqui:

“O carro esteve irrepreensível durante toda a época, vamos agora avaliar o que se terá passado. Os mecânicos vão trabalhar no motor, e espero alinhar na última jornada do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, Rampa de Boticas a 23 e 24 de setembro.”

texto: Nuno Pinto

fotos: Pick Prego a Fundo