Tondela cumpriu época de afirmação na I Liga

14.05.2018 |

Após duas épocas de sofrimento, com a salvação conseguida sobre o apito final, o Tondela cumpriu em 2017/18 uma I Liga de futebol muito mais tranquila, garantido a manutenção com duas jornadas por disputar.

Os números não mentem e mostram que a temporada foi a antítese das duas últimas, uma afirmação no principal escalão do futebol português, numa altura em que vai continuar como o único representante da região centro do país, já que entre Lisboa e Santa Maria da Feira não há mais clubes na I Liga.

O 10.º/11.º/12.º lugar é o corolário de um campeonato em que o Tondela foi, principalmente fora de casa, uma equipa difícil de bater. Na condição de visitante, melhor defesa que os ‘auriverdes’ (17 golos sofridos), só FC Porto (oito) e Benfica (13).

Foi assente nessa solidez defensiva que o Tondela conquistou, fora do Estádio João Cardoso, 20 dos seus 38 pontos, com um total de cinco vitórias, entre as quais o histórico triunfo na Luz, por 3-2, frente ao Benfica, que afastou, em definitivo, os ‘encarnados’ do ‘penta’ e selou a manutenção.

Referência, desde logo, para a estabilidade que a equipa teve este ano, depois de três treinadores na época de estreia – Vítor Paneira, Rui Bento e Petit – e dos dois de 2016/17.

Pepa, que chegou ao clube a meio da temporada passada, a tempo de conseguir o segundo ‘milagre’ da manutenção na última jornada, repetindo o ‘feito’ de Petit, manteve-se e ficou até final da presente época. A continuidade é agora uma incógnita.

Entre os jogadores, Cláudio Ramos, na baliza, voltou a realizar uma época de grande qualidade e muito do sucesso passou por ele, sendo que o central internacional português Ricardo Costa, de 36 anos, deu muita da sua experiência à equipa.

Tomané, Miguel Cardoso e Murilo, que se lesionou com gravidade e falhou o último terço da época, são também destaques, pela positiva, sendo responsáveis por grande parte dos 41 golos apontados pelo Tondela.

Referência ainda para Osório, o central venezuelano que na temporada passada chegou ao clube e que em janeiro rumou ao FC Porto. Foi o primeiro grande negócio feito pelos tondelenses, que viram entrar 2,5 milhões de euros nos cofres do clube.