Utentes da APPACDM de Albergaria-a-Velha regressam ao palco do Cineteatro Alba

26.04.2017 |

A Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha está a preparar a quarta edição do Pontes Sonoras, um projeto municipal de inclusão social que alia música, dança e teatro, culminando num espetáculo no Cineteatro Alba. A edição de 2017, denominada “Arbo”, conta com a participação de 20 elementos da APPACDM de Albergaria-a-Velha, bem como de 13 jovens do Conservatório de Música da Jobra e da AlbergAR-TE – associação cultural. O resultado final será apresentado no dia 20 de maio, pelas 21h30. 
Os ensaios estão a decorrer no Centro Cultural da Branca, dirigidos por um docente de música da Autarquia. O elemento orientador do espetáculo de 2017 é a árvore, símbolo da vida, mas também da diferença, pois independentemente da forma como vai crescendo, acaba sempre por dar frutos. Ao longo das várias sessões de preparação, novas ideias têm surgido dos vários elementos do grupo, transformando o processo criativo num verdadeiro trabalho colaborativo, onde as diferenças são esbatidas. No final, o importante é que todos se divirtam e que transmitam essa boa disposição ao público no dia do espetáculo. 
O projeto Pontes Sonoras promove o desenvolvimento de diferentes competências nos utentes da APPACDM, nomeadamente o aumento da concentração, o controlo dos momentos de silêncio, a coordenação motora e o trabalho em equipa. Os jovens participantes das associações do Concelho têm, por seu lado, uma oportunidade de trabalhar com uma equipa especial, testando a sua capacidade de adaptação a diferentes contextos. 
O Pontes Sonoras é uma das faces mais visíveis do programa Incluir+, uma iniciativa da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha que visa promover a inclusão social da população com deficiência. No âmbito do programa, criado em 2014, a autarquia promove, de forma regular, sessões de expressão musical, atividade física adaptada e leitura encenada junto dos utentes da APPACDM.  
Desde 2015, a autarquia também tem disponível a Sala Snoezelen e a Sala de Integração Sensorial, vocacionados para pessoas com deficiência, incapacidade, problemas sensoriais ou neurológicos. Os dois espaços, equipados com materiais que estimulam as sensações físicas e emocionais, têm sido utilizados por IPSS, Agrupamentos de Escolas e pelas Unidades de Ensino Estruturado para a Educação de Alunos com Perturbação do Espetro do Autismo.