ADICES participa em importante projeto transnacional

13.11.2018 |

A Adices – Associação de Desenvolvimento Local, sedeada em Santa Comba Dão, faz parte de uma parceria internacional onde a floresta é o fator comum de estudo, reunindo parceiros da Suécia, Luxemburgo e Finlândia.

Este projeto que conta, igualmente, com a parceria das associações portuguesas AD ELO –  Associação de Desenvolvimento Local da Bairrada e DUECEIRA – Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça, tem a gestão da floresta, o seu potencial e as diferentes utilizações, como preocupação comum.

Integrado na implementação deste projeto de parceria, decorreu ente os dias 5 e 8 de do corrente mês, uma visita à região sul da Suécia onde se realizou a conferência “Economia verde – uso múltiplo da floresta”.

A visita incluiu uma passagem pela zona de Småland”, Växjö/ Jönköping”, tendo integrado visitas técnicas a espaços florestais, projetos e empresas, enquanto exemplos de boas práticas na área da floresta, onde a preocupação ambiental e económica coexiste de forma positiva para a sua valorização.

Segundo uma nota informativa da ADICES, “a comitiva foi composta por representantes técnicos e políticos dos diversos municípios que compõem as associações portuguesas, permitindo estabelecer uma rede de contacto e troca de experiências, onde a valorização da floresta é fator comum de desenvolvimento do território”.  Da visita, para além de contatos com o conselho florestal da floresta Smaland, houve também a oportunidade de “assistir à visão científica transmitida pela Universidade de Linnaus, a uma visita a um parque experimental onde foi possível analisar as oportunidades para aumentar a produção, tendo presente que as mudanças climáticas potenciam o aumento da procura do uso de matérias-primas florestais para energia renovável e produtos.

A visita inclui ainda “o contacto com uma empresa de serração de madeira de pinho e abeto bem como uma passagem pelo Parque Nacional de Mosse, o maior do país que contempla duas reservas naturais, Brokullen e Långö Mosse com uma área protegida perto de 8 000 hectares”.

Esta troca de experiências permitiu, de acordo com a ADICES, “estabelecer uma rede de contactos, perspetivando-se ações futuras que os diversos parceiros vão poder desenvolver, tendo como mote principal a valorização da floresta enquanto património ambiental e económico dos respetivos territórios”.