Bloco de Esquerda de Viseu denuncia poluição na Barragem da Aguieira

25.08.2020 |

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda (BE) denuncia o aparecimento de “muita espuma” em plena barragem da Aguieira, mais precisamente na foz do rio Dão, onde se junta com o rio Mondego.

O local em questão, segundo o BE, é uma zona de banhos, de lazer e desportos náuticos situada junto à foz do rio Dão. 

O BE adianta ter conhecimento que esta situação já foi investigada e denunciada anteriormente, nomeadamente com a ida das autoridades competentes, SEPNA e Câmara Municipal de Mortágua, à possível origem do foco, numa unidade hoteleira.

O Bloco lembra, em comunicado, que tem lutado pela preservação e conservação dos rios e ribeiras do distrito, nomeadamente com a denúncia junto das autoridades competentes “com o objetivo da resolução deste problema que afeta a saúde pública, a fauna e a flora da região”.

Este é mais um caso de poluição na região, avança a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda, que se junta aos já denunciados recentemente na ribeira de Dardavaz, no rio Criz, no rio Dão e nos seus afluentes. 

A barragem da Aguieira, localizada no rio Mondego, no limite entre o município de Penacova e o município de Mortágua, foi construída em 1981 com a finalidade de produção de energia hidroelétrica, mas com o tempo acabou também para servir para captação de água para consumo humano da região de Coimbra. A albufeira da barragem da Aguieira, classificada como albufeira de águas públicas protegida pelo Decreto Regulamentar n.º 2/88, de 20 de Janeiro, ocupa uma área de 2000 ha, integrando-se também no esquema de aproveitamento hidroagrícola do Baixo Mondego.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.