Câmara de Carregal do Sal lamenta encerramento da delegação da Cruz Vermelha

04.02.2021 |

O presidente da Câmara Municipal de Carregal do Sal lamentou hoje o encerramento da delegação da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) de Oliveira do Conde, que fechou na quarta-feira por ordem da direção nacional.

“A Câmara Municipal lamenta o encerramento das instalações da Delegação de Oliveira do Conde da Cruz Vermelha Portuguesa, demonstrando a sua disponibilidade para prestar o seu apoio num processo de diálogo que venha a ser considerado necessário”, sintetiza uma nota de imprensa.

No comunicado, o presidente da Câmara assume que, “por se tratar de um assunto do foro interno e do funcionamento da Cruz Vermelha Portuguesa, e por esta entidade não fazer parte das entidades da Proteção Civil Municipal, sem embargo de ser convidada a participar em reuniões e noutras iniciativas, esta Câmara Municipal não tem legitimidade para intervir neste diferendo”.

Rogério Mota Abrantes refere que “a Câmara Municipal de Carregal do Sal tomou conhecimento de que a Direção Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa procedeu ao encerramento das instalações da Delegação de Oliveira do Conde da Cruz Vermelha Portuguesa”, decisão que “lamenta”.

Neste sentido, o autarca assume que “a Câmara Municipal tudo irá fazer para a permanência da Cruz Vermelha” no concelho de Carregal do Sal, “iniciando, desde já, contactos com a Direção Nacional” desta instituição de socorro.

“Por deliberação da direção nacional da Cruz Vermelha Portuguesa a 28 de janeiro de 2021, e para salvaguarda dos interesses institucionais, comunica-se que a Delegação de Oliveira do Conde encontra-se extinta”, revela uma nota de imprensa da CVP divulgada na quarta-feira.

O comunicado refere ainda que “os apoios à comunidade, até aqui prestados por esta estrutura, passarão a ser assegurados pelas delegações da CVP mais próximas”.

O Bloco de Esquerda (BE) manifestou “perplexidade e preocupação” com este encerramento e, numa nota de imprensa, destaca o “serviço público exemplar, nomeadamente no transporte de doentes e na prestação de primeiros socorros”.

“Por isso, consideramos que a discussão, e a solução, devem ser desassociadas dos alegados desvios de fundos que envolveram a direção da delegação. (…) As preocupações agravam-se devido ao ‘timing’ do encerramento, em plena pandemia e quando são necessárias todas as estruturas disponíveis para este combate”, considera o BE.

A delegação da CVP de Oliveira do Conde, continua a nota de imprensa, “é um meio de socorro que serve pontos estratégicos do concelho, nomeadamente no eixo Carregal do Sal-Oliveira do Conde-Cabanas de Viriato, em coordenação com as duas corporações de bombeiros do concelho”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.