Covid-19: Celebrar a Revolução de Abril com a “Grândola” à janela e muita cultura ‘online’

25.04.2020 |

Hoje celebra-se a Revolução de Abril de 1974 sem ações de rua e sem atividades culturais em sala, por causa da covid-19, mas há dezenas de propostas para festejar em casa e de olhos postos nas janelas digitais.

A Associação 25 de Abril apela a que os portugueses não esqueçam a importância da data, que pôs fim à ditadura, e que cantem, às 15:00, “às janelas ou às varandas”, a música “Grândola, Vila Morena”, de José Afonso, uma das senhas históricas da revolução.

Pouco depois, nas várias plataformas digitais do Governo, estrear-se-á o filme “Agora Que Não Podemos Estar Juntos”, criado pela Companhia Hotel Europa, a partir de um desafio que o primeiro-ministro fez aos diretores dos teatros nacionais para celebrar a revolução.

Para o filme, a Companhia Hotel Europa convidou artistas do teatro, música e dança a interpretarem testemunhos reais relacionados com a história recente do país.

Para quem está confinado em casa, a Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) pede que se coloquem cravos nas janelas, num tributo a Celeste Caeiro, “uma cidadã comum” que há 46 anos distribuiu aquela flor pelos militares em Lisboa.

De tudo o que está marcado para este dia, com transmissão pela Internet, haverá, por exemplo, uma homenagem a José Mário Branco pela sala de espetáculos Musicbox, uma atuação em dupla – à distância – dos músicos  Branko e Dino D’Santiago, e o Festival Liv(r)e, com atuações na página d’A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria de nomes como Clã, Galandum Galundaina e Pedro Mestre.

Foto: observador.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.