COVID-19: Misericórdia de Lamego continua a prestar cuidados aos mais vulneráveis

22.03.2020 |

Face à atual situação de pandemia pelo surto do novo coronavírus, com profundo impacto no regular funcionamento da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, esta instituição vai proceder ao encerramento ao público, a partir de segunda-feira, dia 23 de março, de todos os serviços que funcionam no seu edifício-sede, situado no Largo Dr. João de Almeida.
Diversas valências continuarão, no entanto, a trabalhar todos os dias para garantir a prestação de cuidados aos seus utentes e a servir aqueles que mais precisam. Assim, o Lar de Idosos de Arneirós, o Serviço de Apoio Domiciliário, o Lar de Infância e Juventude e o Centro de Acolhimento Temporário (CAT) mantêm a sua missão de auxílio e proteção aos grupos mais vulneráveis da sociedade, em particular os idosos e as crianças.
Por outro lado, o Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social  (SAAS) será assegurado por telefone (254 697 163 e 969 642 113), nos dias úteis, entre as 9h30 e as 16h30, enquanto que o atendimento pela Equipa Multidisciplinar do Protocolo RSI será garantido através dos contactos 254 688 070 e 968 488 292, durante os dias úteis, de acordo com o seguinte horário: 9h30-12h e 14h-17h.
A assinalar cinco séculos de existência, o Provedor da Misericórdia de Lamego sublinha que a maior e mais antiga instituição de solidariedade social do concelho enfrenta talvez o maior desafio da sua História. “Num momento muito difícil para toda a comunidade quero exaltar o espírito de entreajuda e colaboração manifestado maioritariamente pelos funcionários e colaboradores desta Santa Casa para conseguirmos que as graves dificuldades que esta crise nos coloca, sejam amenizadas no dia a dia e não criem mais angústia e ansiedade aos nossos utentes”, afirma António Marques Luís.
Nesta fase difícil para as misericórdias portuguesas e para as outras IPSS’s, o Provedor da Misericórdia de Lamego mostra-se empenhado em manter todas as funções críticas e essenciais desta Santa Casa e acredita que o setor social será capaz de dar um forte apoio à sociedade, ajudando o país a superar esta grave crise.