Covid-19: Plataforma do Bloco de Esquerda recebe denúncias sobre despedimentos e abusos laborais

06.04.2020 |

O Bloco de Esquerda lançou a plataforma despedimentos.pt, “um instrumento para realizar o mapeamento dos abusos laborais em tempos de pandemia, fornecer instrumentos de denúncia às trabalhadoras e aos trabalhadores afetados e reunir informação relevante que permita a proteção dos empregos”.

À plataforma já chegaram denúncias do distrito de Viseu, como é o caso dos formadores do IEFP, do sector público, ficarem em casa sem receber e sem saber quando voltam ao trabalho.

Segundo o Bloco de Esquerda, no Município de Tondela, há relatos de “assédio para obrigar os trabalhadores a entrar em férias”.

Várias denúncias são da Visabeira, uma das maiores empresas do país, com mais de 10 mil trabalhadores. As denúncias recaem sobretudo sobre a obrigatoriedade de uso de dias de férias para os funcionários da Cerutil (Sátão), a obrigatoriedade de gozo de férias para quem ficou em casa em assistência à família nos serviços administrativos, a negação do teletrabalho, solicitado e compatível, a falta de meios de proteção individual e de programas eficientes de contenção nos escritórios que se encontram no Palácio do Gelo e a manutenção de trabalhadores a trabalhar a 100% estando estes em Layoff .

Um outro caso denunciado foi o da FNAC de Viseu que, depois de “ter imposto unilateralmente a entrada em período de férias forçadas, despediu os trabalhadores cujos contratos se encontravam em período experimental”. A decisão, executada logo nos primeiros dias da crise pandémica, foi comunicada sem cumprimento do prazo de aviso prévio através de uma carta em que se anunciava a “denúncia do contrato de trabalho no período experimental”.

Ainda de acordo com o Bloco de Esquerda, a Huf Portuguesa, sediada em Tondela, recorre à subcontratação através da empresa de trabalho temporário Randstad, que por sua vez propôs às pessoas nesta situação a suspensão da prestação do trabalho até dia 20 de abril sem qualquer tipo de remuneração, apresentando como alternativa, caso a proposta não fosse aceite, a caducidade do contrato.

Também a empresa Dimoldura de Carregal do Sal começou a dispensar, denunciando os contratos, trabalhadores subcontratados à Randstad.

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda mostra-se disponível para continuar a receber, acompanhar e apoiar denúncias, que poderão também ser feitas através do portal despedimentos.pt.

 

Comments are closed.