Eleições: Subida do Chega na maioria dos distritos marcou legislativas

11.03.2024 |

A eleição de deputados do Chega pela maioria dos distritos portugueses, onde ainda não tinha conseguido mandatos, marcou as eleições legislativas deste domingo, que foram ganhas pela AD.

Beja, Guarda, Viana do Castelo, Coimbra, Vila Real, Castelo Branco, Évora, Portalegre, Viseu, Açores e Madeira foram os distritos onde o Chega conseguiu eleger deputados e que ainda não tinha conseguido mandatos até hoje.

O partido de André Ventura manteve representação em outros círculos como Faro, Braga, Leiria, Santarém, Aveiro, Porto, Setúbal e Lisboa.

Em Bragança, o Chega não conseguiu eleger nenhum deputado.

O Chega conseguiu pela primeira vez um mandato em Beja, que elegeu três deputados, a par do PS e da AD. O PCP-PEV perdeu um deputado nestas eleições, em relação às de 2022.

Em Bragança, a troca foi entre o PS e o PPD/PSD, com os sociais-democratas a contabilizarem dois deputados (um em 2022) e o PS um (dois nas últimas legislativas).

Na Guarda (três mandatos), a AD, o PS e o Chega conseguiram eleger um deputado cada, quando em 2022 os mandatos foram para o PS (dois) e o PPD/PSD (um).

Em Viana do Castelo, a AD conseguiu dois mandatos, o PS outros dois e o Chega um. Em 2022, os seis mandatos – que entretanto passaram a cinco – foram distribuídos pelo PS (três) e PPD/PSD (três).

Em Coimbra, com nove mandatos, o Chega também elegeu pela primeira vez (dois), enquanto o PS venceu com quatro, seguido da AD (dois). Nas últimas eleições, o PS obtivera seis deputados e o PPD/PSD três.

Vila Real (cinco mandatos) elegeu dois para a AD, dois para o PS e um para o Chega. Em 2022, o PS obteve três mandatos e o PPD/PSD dois.

Em Castelo Branco (quatro mandatos), o PS conseguiu dois deputados, a AD um e o Chega outro. Os mandatos tinham sido distribuídos em 2022 pelo PS (três) e o PPD/PSD (um).

Faro, com nove mandatos, manteve os três partidos mais votados com deputados: PS (três), Chega (três) e AD (três). Em 2022, o PS obtivera cinco mandatos, o Chega um e o PPD/PSD três.

Em Évora, PS, AD e Chega obtiveram um deputado cada, quando há dois anos o PS conseguira dois deputados e o PPD/PSD um.

Braga, com 19 mandatos, mantém a distribuição por quatro forças: AD (oito), Ps (seis), Chega (quatro) e IL (um). Nas anteriores legislativas o PS vencera com nove deputados, o PPD/PSD oito, o Chega um e o IL um.

Portalegre (dois mandatos) distribuiu os deputados pelo PS e o Chega, quando em 2022 esses deputados foram apenas para o PS.

Em Leiria, com dez mandatos, a AD venceu com cinco deputados, o PS três e o Chega dois, um cenário diferente de 2022: PS (cinco), PPD/PSD (quatro) e Chega (um).

Em Santarém (nove mandatos), PS, AD e Chega obtiveram três deputados cada, enquanto em 2022 o PS conseguira cinco deputados, o PPD/PSD três e o Chega um.

Com oito mandatos, Viseu elegeu três deputados da AD, três do PS e dois do Chega. Nas últimas legislativas, o PS obteve quatro mandatos e o PPD/PSD quatro.

Em Aveiro, a AD venceu com sete mandatos, o PS cinco, o Chega três e a IL um. Em 2022, o PS conseguiu oito deputados, o PPD/PSD sete e o Chega um.

No Porto (40 deputados), a AD conseguiu 14 deputados, seguida do PS (13), Chega (sete), IL (dois), BE (dois), Livre (um) e PCP/PEV (um), quando em 2022 o PS venceu com 19 deputados, o PPD/PSD com 14, a IL com dois, o BE com dois, o Chega com dois e o PCP/PEV com um.

Setúbal distribuiu os 19 mandatos (mais um do que em 2022, proveniente de Viana do Castelo) pelo PS (sete), Chega (quatro), AD (quatro), PCP-PEV (um), BE (um), IL (um) e Livre (um).

Nas anteriores legislativas o PS venceu com 10 mandatos, o PPD/PSD três, PCP-PEV dois, o Chega com um, o BE um e a IL um.

Em Lisboa, o PS manteve a liderança, mas diminuiu o número de mandatos de 21 para 15, enquanto a AD subiu em relação ao PPD/PSD em 2022, de 13 para 14 mandatos.

O Chega foi a terceira força mais votada por este círculo, com nove mandatos, mais cinco do que em 2022.

O Chega também elegeu pela primeira vez nos círculos dos Açores e da Madeira.

Nos Açores, a AD e o PS obtiveram dois deputados cada e o Chega um. Em 2022, o PS obteve três deputados e a coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM dois.

Na Madeira, os seis mandatos foram distribuídos pelo PPD/PSD/CDS-PP (três), o PS (dois) e o Chega um. Em 2022, PPD/PSD/CDS-PP e o PS obtiveram três deputados cada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.