GNR desmantela rede ilegal de apostas desportivas

07.04.2019 |

A Unidade de Ação Fiscal da GNR, através do Destacamento de Ação Fiscal do Porto, realizou, no dia 4 de abril, uma operação de investigação criminal “ShowDown”, no âmbito de uma investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto, que visou o desmantelamento de uma rede ilegal de exploração de apostas desportivas.

A atividade criminosa desmantelada consistia na disponibilização, gestão, pagamento e cobrança de valores relativos a apostas desportivas, as quais eram efetuadas mediante o acesso a sites disponibilizados em estabelecimentos comerciais.

No decurso desta operação, na qual foram empenhados 138 militares da Unidade de Ação Fiscal e da Unidade de Intervenção, foram realizadas 41 buscas em diferentes localidades dos distritos de Porto, Braga e Viana do Castelo, vinte das quais a estabelecimentos comerciais, onde eram disponibilizados os acessos aos sites para a prática ilícita de apostas desportivas, cinco a  empresas envolvidas na exploração de sites de apostas desportivas, quinze a domicílios e uma a um armazém que funcionava em apoio à atividade ilícita desenvolvida.

Em simultâneo, foram também realizadas buscas na Áustria e na Alemanha, locais onde se encontravam os servidores utilizados na exploração do jogo ilícito.

Em resultado das diligências realizadas, destacam-se as seguintes apreensões:

  • 50 veículos automóveis, no valor estimado de um milhão e duzentos mil euros;
  • Quatro motociclos no valor presumível de 31 mil euros;
  • 54 dispositivos informáticos na exploração do jogo ilícito e realização de apostas desportivas online(tablets, discos externos, pendrives e impressoras)
  • 36 computadores;
  • Sete máquinas de jogo; 
  • 24 telemóveis;
  • Cerca de quatro mil euros em numerário.

Foram ainda arrestados bens imóveis e contas bancárias no montante de cerca de 292 mil euros.

Esta operação, considerando a dimensão transnacional dos ilícitos sob investigação, teve no plano da cooperação policial, o patrocínio e o apoio operacional da EUROPOL, que disponibilizou também um analista para acompanhar as diligências em território nacional, e, no âmbito da coordenação da cooperação judiciária, a intervenção do EUROJUST.

Nesta operação foram detidos nove indivíduos e 21 foram constituídos arguidos, tendo sido elaborados nove autos de noticia por exploração ilícita de apostas desportivas e jogos de fortuna e azar.