GNR reforça patrulhamento em zonas residenciais

11.03.2019 |

A Guarda Nacional de Republicana (GNR) reforça por estes dias o patrulhamento junto das zonas residenciais, aproveitando para sensibilizar os cidadãos para que adotem procedimentos de segurança, no sentido de prevenir situações de furto e roubo nas suas residências.

Esta operação decorre até 15 de março.

De acordo com a GNR, apesar dos crimes de furto e roubo em residência ocorrerem em diversos períodos do dia e dias da semana, existe uma especial preponderância nos dias úteis e no período da tarde, período este em que as pessoas estão ausentes das suas residências por se encontrarem nos seus empregos.

A Guarda apela por isso à adoção de comportamentos preventivos para contribuir para a redução da criminalidade, tais como: não abra a porta de sua casa, nem a do prédio, sem ter a certeza quem são as pessoas; quando sair de casa, feche bem todas as janelas e tranque sempre as portas e portões de acesso; guarde num local seguro todas as cópias das chaves da sua residência; coloque um óculo e uma corrente de segurança na sua porta; durante a noite, mesmo estando em casa, tranque todas as janelas e portas; não deixe escritos na porta, janela ou caixa do correio, que indiciem a sua ausência; não deixe acumular correspondência na caixa do correio e coloque na mesma uma fechadura segura; aos moradores do rés-do-chão e do 1.º andar, recomenda-se a instalação de sistemas de segurança nas janelas; ilumine bem todas as entradas; se notar presenças estranhas nas redondezas da sua casa, tente confirmar as suas suspeitas. Em caso de dúvida, ligue para a GNR; caso se confronte com um assaltante em casa, tente manter a calma, não discuta, nem o confronte; procure memorizar as suas feições e a roupa que traz vestida,  para as descrever às autoridades; tenha sempre à mão os números de telefone do posto da GNR da área da sua residência. Em caso de emergência, ligue o 112.

Em 2018, a GNR, registou 175 situações de roubos em residências, dos quais, cerca de 61% visaram pessoas idosas. No ano passado, verificou-se que, dos cerca de 6 900 furtos ocorridos em interior de residência, 32% tiveram origem em mero descuido dos proprietários.