Moimenta da Beira: “bioCISTER” produz gel feito à base de cereais ou restos vínicos capaz de suprir o distrito numa crise

15.11.2021 |

Quando em março de 2020 a Covid-19 atingiu Portugal, o pânico instalou-se e a compra do gel desinfetante fez com que, muito rapidamente, não houvesse álcool suficiente para a procura. Apareceram produtos à base de lixívia, cola, bagaço, valia tudo. Foi nessa altura que a Crónica D´Aventura, empresa de turismo de natureza e aventura, através de fundos comunitários, criou a bioCISTER com dois destiladores capazes de transformar excedentes vínicos e cereais em álcool com elevado grau de pureza. Um segmento mais elevado que não entrou na guerra dos produtos sem controlo e que, dada a rapidez de produção, está preparado para abastecer o distrito inteiro e até mais. Presentemente, tem 20 mil litros de gel desinfetante em stock.

Situada na Zona Industrial de Moimenta da Beira, a bioCISTER entrou no mercado em Setembro de 2020 quando as coisas estavam mais calmas. Nessa altura houve uma quebra na procura, mas o responsável, Luís Correia Alves, apostou num produto de mais qualidade, na gama dermatológica e totalmente biológica. Começou a produzir álcool a partir de excedentes vínicos da Cooperativa Agrícola do Távora, com 96% de grau de pureza e, mais tarde, quando o preço do álcool vínico sofreu uma quebra de preço, o uso de cereais passou a compensar mais.

“Agora estamos a usar cereal. O grau de pureza é igual. Depois são acrescentados produtos cosméticos, que não agridam a pele”, explica. Portanto, nada a ver com as mãos vermelhas, queimadas, agredidas que chegamos a ver muitas vezes. Ou o gel colante que nunca seca nas mãos. “Vi um senhor uma vez a pôr gel, caiu-lhe nas calças, ficou com uma mancha descolorada. Tinha lixívia”.

A bioCISTER posicionou-se no mercado em vários segmentos: fornecendo empresas, que oferecem gel aos seus clientes, e assinando contratos com marcas. Tem, por exemplo, contratos exclusivos com o Futebol Clube do Porto e com o Sporting Clube de Portugal e só não conseguiu com o Benfica porque não houve tempo. “Queríamos pôr estes produtos à venda nas grandes superfícies mas faltava o Benfica. Era preciso ter os três”, conta. Ideia que vai ser novamente tentada. Além disso, a bioCISTER está à venda online nos sites da DOT e da Worten, bem como o da ARCA. Trabalha ainda com a Sofarma, o que a coloca no sector das farmácias.

“Neste momento, os nossos clientes são constantes e incluem farmácias, clientes exclusivos, hotelaria. Mas temos capacidade para produzir 2000 mil litros de álcool a cada oito horas e embalar 1500 litros por dia”. Luís Alves teme que o levantamento de restrições leve ao abandono dos hábitos de higienização, quando, na realidade, estes deviam ser mantidos. “As gripes normais diminuíram”, exemplifica. E quanto ao resto, no tocante às variantes da Covid não sabemos o que poderá vir. A bioCISTER está preparada para tudo. Mas, dada a multifuncionalidade dos destiladores, o responsável também tem planos para um uso completamente diferente: a produção de bebidas alcoólicas, como gin ou vodka.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.