Orçamento da Comunidade Viseu Dão Lafões para 2021 superior a 10 milhões de euros

24.11.2020 |

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões anunciou hoje que o orçamento para 2021, aprovado por unanimidade no conselho intermunicipal, é superior a 10 milhões de euros (ME) e que continua a privilegiar a mobilidade e transportes.

“Este orçamento é, fundamentalmente, um orçamento que tem em consideração as exigências dos novos tempos, com a presença da pandemia covid-19 na nossa região e no país, mas com uma noção clara dos desafios que a região tem pela frente e com olhos postos no futuro”, refere, em comunicado, o presidente da Viseu Dão Lafões.

Rogério Mota Abrantes esclarece que este “documento estratégico foi aprovado por unanimidade em sede de Conselho Intermunicipal e que será submetido à aprovação da Assembleia Intermunicipal”.

“Conta com um orçamento que ascende a mais de 10 ME”, ou seja, 10,6 ME, sendo superior ao de 2020 em 500 mil euros.

Na nota de imprensa, este responsável assume que “a área da mobilidade e dos transportes continuará a assumir, no ano de 2021, um grande destaque, iniciando-se o projeto-piloto de transporte flexível que se inicia em seis municípios, mas que depois será alargado a todo o território”.

“Iniciar-se-á a execução de um projeto no domínio da mobilidade suave, com a construção de várias ciclovias e/ou vias pedonais, em vários municípios, e o investimento em modos de transporte mais suaves, como é o caso das bicicletas”.

Também a Educação faz parte do orçamento para 2021 e, neste sentido, a Comunidade “continuará a desenvolver o plano de promoção do sucesso educativo nas escolas da região, com vários projetos inovadores, em perfeita articulação com os agrupamentos de escolas e com cada um dos municípios”. 

Na área do turismo, Viseu Dão Lafões quer “continuar a desenvolver o plano de ação no âmbito dos produtos turísticos integrados de base intermunicipal”, como é o caso do enoturismo e megalitismo, e ainda a Ecopista do Vouga.

No domínio da programação cultural em rede, este responsável diz que a comunidade “continuará a desenvolver um conjunto de espetáculos e criações culturais, que percorrerão os 14 municípios durante o próximo ano”.

O projeto “Um modelo, 14 municípios”, para a simplificação administrativa, continua a merecer atenção na área da modernização administrativo.

Na proteção civil, o maior foco vai para a defesa da floresta com vários projetos em andamento e outros novos.

“Prevemos a concretização do Sistema de Informação Cadastral Simplificado, no território dos municípios que não dispõem de cadastro geométrico da propriedade rústica ou cadastro predial e também iniciar-se-á a instalação do Sistema Integrado de Videovigilância para a Prevenção de Incêndios Florestais, mais um projeto estratégico para a defesa e resiliência da nossa floresta”, adianta.

Rogério Abrantes refere ainda que “o ano de 2021 marcará o início do próximo quadro financeiro plurianual 2021-2027, pelo que os trabalhos da definição de uma estratégia de desenvolvimento territorial para a Região Viseu Dão Lafões terão continuidade, a que se seguirá o processo de contratualização com os vários programas operacionais”.

Para 2021, Rogério Abrantes assume que Viseu Dão Lafões continuará a ter uma “atenção especial” no controlo da pandemia da covid-19, principalmente na região dos 14 municípios.

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) também está em destaque, considerando-se “fundamental a territorialização do plano, através de um Pacto Regional, coordenado e liderado pela CCDR do Centro”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.