Perigo de incêndio florestal devido ao tempo quente e seco

23.10.2017 |

Na sequência da informação disponibilizada pelo Instituo Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), verificar-se, até ao final da semana, um período de tempo seco e subida de temperatura, para valores acima da média para esta época do ano.
Assim, de acordo com a ANPC – Autoridade Nacional de Protecção Civil, estão “reunidas condições favoráveis à propagação de incêndios rurais na eventualidade de se verificarem ignições do material lenhoso, não obstante a precipitação registada nos últimos dias, uma vez que o país atravessa um já longo período de seca e, além disso, existe grande quantidade de material combustível acumulado e suscetível de arder rápida e violentamente nos espaços florestais”.
Face ao quadro meteorológico traçado e aos efeitos expectáveis que dele decorrem, “torna-se imperioso adequar e ajustar os comportamentos individuais ao risco de incêndio florestal que irá vigorar ao longo dos próximos dias, bem como adotar as medidas cautelares apropriadas com vista a evitar ocorrências associadas a incêndios rurais”.
A ANPC relembra que, de acordo com as disposições legais em vigor e fruto do prolongamento do período crítico até 31 de Outubro, não é permitido:
Realizar queimadas de fogueiras para recreio ou lazer ou para confeção de alimentos;
Utilizar equipamentos de queima e de combustão destinados a iluminação ou a confeção de alimentos;
Queimar matos cortados e amontoados, bem como qualquer outro tipo de sobrantes de exploração;
Lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;
Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias de atravessamento ou circundantes;
Fumigar ou desinfestar apiários com utensílios que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.
Em comunicado, a ANPC recorda, ainda, alguns dos cuidados especiais a ter face às condições meteorológicas previstas, nomeadamente no que toca à realização de trabalhos agrícolas e florestais:
Manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras; Abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação; Guardar todo o cuidado com as faíscas aquando do seu manuseamento, evitando a sua utilização durante os períodos de maior calor.
A ANPC sublinha, ainda, a necessidade de todos adequarem os comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio florestal que se irá registar durante os próximos dias, salientando a necessidade de sermos atentos, previdentes e prudentes no uso e fruição dos espaços rurais.