PJ deteve mulher de 80 anos suspeita de atear fogo

08.05.2017 |

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro anunciou a detenção de uma mulher de 80 anos suspeita de ter ateado um incêndio florestal em abril passado, em Arrancada do Vouga, no concelho de Águeda.

Fonte da PJ disse que a octogenária é mãe de um indivíduo de 61 anos que já tinha sido detido por esta polícia no passado mês de abril, por alegadamente ter ateado seis incêndios florestais na mesma zona.

Em comunicado, a PJ refere que a idosa, que foi detida na passada sexta-feira, já foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de obrigação de apresentações periódicas em posto policial.

De acordo com a investigação, a idosa, que não tem antecedentes criminais, terá agido “num quadro de alcoolismo”, potenciado pela proximidade geográfica da sua residência ao foco de incêndio.

O incêndio, ocorrido na tarde do dia 27 do passado mês de abril em Arrancada do Vouga, Águeda, no distrito de Aveiro, teve início “através de chama direta na abundante vegetação que se encontrava no terreno”.

“Apenas a pronta deteção por testemunha do início do fogo permitiu um rápido e eficaz combate do mesmo, fazendo com que não atingisse proporções de relevo, já que se está em presença de uma mancha florestal extensa e com muitas habitações próximas”, refere o comunicado.

De referir que nos meses de março e abril do corrente ano a zona de Arrancada do Vouga foi atingida por vários incêndios florestais.

O filho da mulher agora detida já tinha sido anteriormente condenado pelo crime de incêndio florestal, encontrando-se atualmente sujeito à obrigação de permanência na habitação.