Trabalhadores da PSA/Peugeot/Citroën de Mangualde ameaçam fazer greve aos sábados

10.07.2019 |

Os trabalhadores da PSA/Peugeot/Citroën de Mangualde decidiram avançar com um pré-aviso de greve todos os sábados a partir do próximo e até ao final do ano, para combater a produção extraordinária “imposta pela direção”, disse à Emissora das Beiras fonte sindical.

Segundo Justino Pereira, do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro Norte (SITE-Centro Norte), a direção da empresa “queria que os trabalhadores fizessem, numa semana de cinco dias, quatro com 10 horas de trabalho”, o que o sindicato considerou ser “um absurdo, já que em cinco dias vão ser feitas 48 horas”.

“Garantir a manutenção dos dois dias de descanso consecutivo, garantir a não realização de mais de oito horas diárias de trabalho e o fim da perseguição, chantagem, pressão e repressão, são os principais objetivos desta greve”, afirmou Justino Pereira.

O coordenador sindical disse que a greve pretende “acabar com a bolsa de horas” e “este pré-aviso de greve é para chamar a atenção para negociar”, uma vez que o sindicato “ainda não conseguiu entrar diretamente em diálogo com a direção” da empresa, sedeada em Mangualde.

No comunicado enviado à administração da PSA/Peugeot/Citroën – Mangualde, ao Ministério do Trabalho e Solidariedade e Segurança Social e à comunicação social, o sindicato avisa que a direção da empresa “continua a impor calendários de bolsa de horas sem ter em conta os alertas feitos pelos trabalhadores, nomeadamente ao nível do desgaste físico e psicológico”.

Cada turno na PSA/Peugeot/Citroën em Mangualde tem, em média, cerca de 300 trabalhadores e a primeira greve está marcada para sábado, dia 13, a partir das zero horas e termina no último dia do ano, 31 de dezembro.

Esta notícia terá o seu desenvolvimento alargado nos próximos blocos informativos da Emissora das Beiras.

Foto: Jornal de Negócios