Vouzela: Presidente da Câmara será substituído por Carlos Oliveira

22.01.2024 |

O presidente da Câmara de Vouzela, Rui Ladeira, que ocupa o quinto lugar da lista da coligação Aliança Democrática às legislativas pelo distrito de Viseu, será substituído pelo vice-presidente, Carlos Oliveira, quando suspender funções no final deste mês.

“Esteve sempre comigo e conhece muito bem o município de Vouzela, seja a estrutura interna municipal, seja o concelho como um todo e os seus vários dossiers”, disse Rui Ladeira à agência Lusa, considerando que Carlos Oliveira garantirá a continuidade do projeto que os munícipes escolheram nas eleições autárquicas.

O autarca social-democrata referiu que Carlos Oliveira “assumirá as competências durante este período de suspensão do mandato” e também depois, caso venha a ser eleito em março e renuncie ao mandato.

“O município de Vouzela ficará muito bem entregue, atendendo quer à sua competência e dedicação ao trabalho, quer à facilidade de relacionamento com os munícipes e com os colaboradores do município”, frisou.

Rui Ladeira lembrou que, mesmo que não fossem as eleições legislativas, seria presidente da autarquia “pouco mais de um ano”, uma vez que se encontra a cumprir o seu terceiro e último mandato autárquico.

Nesse âmbito, salientou a importância de garantir “um projeto de continuidade que tão bons frutos tem dado em Vouzela”, sendo Carlos Oliveira “a melhor pessoa para corporizar essa estratégia”.

Até suspender funções, Rui Ladeira pretende apenas “fazer cumprir o projeto” que definiu para Vouzela.

“Os investimentos, seja de fundos europeus ou de fundos nacionais, estão em franco desenvolvimento e os últimos dois orçamentos são os maiores de sempre”, sublinhou.

O autarca exemplificou que “estão em desenvolvimento obras como a recuperação dos rios depois dos incêndios, a mobilidade urbana, a ampliação das zonas industriais, o aumento da cobertura de água e saneamento e o sucesso educativo nas escolas”.

Se for eleito para representar o distrito de Viseu no Parlamento, o quinto elemento da lista encabeçada por António Leitão Amaro espera conseguir colocar ao serviço do país “a experiência adquirida não só ao longo de toda a gestão autárquica, mas também a associativa e profissional ligada ao mundo quer empresarial, quer associativo da área da floresta e rural”.

No seu entender, “tem que haver uma abordagem para os territórios do interior e para as zonas de minifúndio, criando economia e também segurança, diminuindo o risco de incêndio e criando uma esperança para atrair mais famílias, mais jovens”.

“Isso não foi feito e eu penso que esse é um dos contributos que posso acrescentar neste projeto político, seja para o país, seja para Viseu”, frisou.

Portugal vai ter eleições legislativas antecipadas em 10 de março, marcadas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

As eleições vão realizar-se na sequência da demissão do primeiro-ministro, António Costa, em 07 de novembro de 2023, alvo de uma investigação do Ministério Público no Supremo Tribunal de Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.